Você está em:

Cansados de bagagens pesadas

 

Estamos no Ano da Fé. Momento que a Igreja nos convida para uma “conversão a Deus cada vez mais completa, para fortalecer a nossa fé n’Ele e anunciá-lo com alegria ao homem do nosso tempo.” (Bento VI, 2012, Porta da Fé).    

É tempo de perceber a fé não como uma crença qualquer e sim de dar  o real testemunho.  De nos desapegarmos  daquilo que não é vital, como sugere Cora Coralina: 

Fé é acreditar naquilo que Jesus acreditava, tornar nosso o seu sonho, é atualizar suas atitudes para o mundo de hoje, assumir a cruz, seus passos.

“Fechei os olhos e pedi um favor ao vento: Leve tudo o que for desnecessário. Ando cansada de bagagens pesadas… Daqui para frente apenas o que couber no bolso e no coração.”

É tempo de ver o que é o essencial da Fé: seguir o mestre! Nossa religião, organização, atividade pastoral, nossa experiência religiosa, nossa emoção diante do sagrado, os louvores, os joelhos dobrados, as mãos estendidas, os sentidos, tudo isso deve estar a serviço do seguimento de Jesus. Caso não o faça, não cabe no bolso, nem no coração. Radical? Nem tanto, afinal Jesus abalou seu tempo e ainda dá o que falar por causa da radicalidade do Reino de Deus.

Este momento tão importante para a Igreja: a fé humilde de um Papa, a expectativa de novo vigor do próximo, a conversão quaresmal, a Jornada Mundial, a Fraternidade e Juventude; provoca-nos. Fé não é quietude, nem se sentir bem, em paz tranquila. Fé é acreditar naquilo que Jesus acreditava, tornar nosso o seu sonho, é atualizar suas atitudes para o mundo de hoje, assumir a cruz, seus passos. Cabe-nos, por isso, tornar a fé no Cristo uma proposta explícita. O Sentido que sacia! Afinal, a fé é isso, é apostar a vida, é experiência de abandonar-se nas mãos de alguém, é caminho de felicidade, realização, dor, sacrifício e, também, liberdade.

Do encontro com Deus nasce a fé, como um presente, um dom. E deste encontro somos convidados a uma resposta. A catequese tem importante papel neste processo. A missão do catequista é isso: propiciar que os catequizandos tenham um encontro pessoal com Cristo. A mensagem que a catequese transmite exige uma resposta, de fé! Sendo assim, há algumas posições importantes que a catequese deve assumir:
 

  • Assumir que nossa catequese deve ser pautada nos Evangelhos (suscitadores de fé).
  • Assumir que nossa catequese deve ter no centro Cristo e o Reino.
  • Assumir a forma contextualizada da história do mestre Jesus, para que ressoe sentido para nossa época, ligando Fé e Vida.
  • Assumir que os catequistas estão neste processo constante. Fortalecer a formação e testemunho de Fé.
  • Assumir que somos profetas nas nossas comunidades e tornar límpida a Fé que foi ofuscada por tantos penduricários inautênticos.

Cansados de bagagens pesadas, orientemo-nos pela Fé em Jesus: não é fardo, mas caminho de encontro e felicidade!
 

Ricardo Diniz de Oliveira
Comissão Arquidiocesana de Catequese