Você está em:

Caminhada “A juventude quer viver” reúne 8 mil jovens no centro de BH


Dom João Justino durante a Caminhada da Juventude

O clima de entusiasmo e expectativa para a JMJ marcou a Caminhada da Juventude, que reuniu oito mil peregrinos estrangeiros e jovens fiéis mineiros, em Belo Horizonte, em torno do tema “A juventude quer Viver”.  Grupos vindos de países vizinhos como Argentina, Bolívia, Chile, Equador e Venezuela, bem como jovens do Líbano, Turquia Dinamarca e Zimbábue, percorreram cinco quilômetros pelo centro da capital mineira ao lado do arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo e dos bispos dom João Justino e dom Luiz Fechio.

Durante a concentração na Praça do Papa, os jovens participaram de show de música católica, rezaram e se aqueceram para a caminhada, que seguiu pela Avenida  Afonso Pena  até a Praça da Estação. Durante o trajeto, a juventude curtiu um animado show com a Tribo Maranata. Ao chegar à Praça, os peregrinos rezaram o rosário em vários idiomas e assistiram ao show da banda Ministério Canção do Espírito.

 

Segundo dom João Justino, que esteve à frente da Caminhada, “o tema escolhido “A juventude que Viver” é um chamado para a valorização da vida. Precisamos despertar a atenção dos jovens em uma perspectiva de fé e ajudá-los para que encontrem a medida justa para vivenciar a juventude” afirmou.
Dom João Justino, que é o bispo referencial para a Juventude na Arquidiocese de BH, também destacou a hospitalidade dos mineiros, elogiando o envolvimento e a boa vontade dos jovens, de suas famílias, dos padres e das paróquias no acolhimento dos estrangeiros.
 

 
A boliviana Roxana Salazar, 29 anos, responsável pela caravana da diocese de El Alto, uma das mais animadas do evento, explicou que além do avivamento da fé, cada um dos jovens pretende reproduzir no seu país um evento semelhante à Semana Missionária de Belo Horizonte. “Tralhamos muito para chegar até aqui. É a primeira vez que participamos de uma Semana Missionária em outro país e, também, da Jornada Mundial da Juventude. Mas temos muitos amigos em nossa diocese que não puderam vir. Nossa missão, portanto, é levar até eles toda a nossa vivência que tem como centro o próprio Cristo”.

 

 

 

 Com apenas 15 anos, a estudante do ensino médio Vívian Fernandes, da Paróquia São Sebastião e São Vicente, na Arquidiocese de Belo Horizonte, disse que estar com a juventude, na Semana Missionária de BH, é percorrer um caminho de fé rumo ao encontro com o Papa Francisco. Uma trajetória alegre de fortalecimento do espírito. “Nós, jovens, queremos mudanças. Isso está escrito no rosto de cada um que caminha ao nosso lado. E o Papa Francisco representa esse desejo de transformar a sociedade. Nos identificamos muito com ele, pela sua simplicidade e sinceridade.  Acreditamos que com seus gestos e palavras, o Papa faz o que Jesus faria ou seja, aquilo  que não só os jovens católicos esperam, mas o que jovens do mundo inteiro desejam”.

 

 

 Papa Francisco: emociona  os brasileiros

Encerrada a Semana Missionária em BH, os jovens se apressaram para chegar ao Rio de Janeiro e aproveitar ao máximo o encontro com o Papa Francisco, durante a JMJ. O Santo Padre foi recebido por autoridades do governo e da Igreja, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na segunda-feira, dia 22.

O trajeto até a Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro foi feito em um carro simples, ao estilo do Papa Francisco. Mais uma vez, o Papa quebrou o protocolo. Ignorou as recomendações de segurança e abriu o vidro do automóvel para abençoar a multidão de fiéis que saiu às ruas para recebê-lo e que o acompanhou durante toda a JMJ.