Você está em:

Atividade física transforma convívio familiar e social

As aulas de artes marciais oferecidas na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo do Socorro e São Damião de Molokai,  têm representado oportunidade de transformação na vida dos alunos, das famílias e da comunidade. Uma atividade que surgiu quase que por acaso, quando a diretora da Escola Ursulina Melo de Andrade, no Bairro Jardim Alvorada,  descobriu  que o ex-seminarista Josivaldo Alexandre de Lima, que fazia trabalho pastoral na Paróquia, era  faixa preta, 2° Dan,  em Taekwondo. “Ao chegar  na Paróquia, a diretora da escola, senhora Graça,  sugeriu que fizéssemos   um trabalho social com a comunidade do bairro. Comecei com crianças  de uma comunidade do bairro que estudavam na escola que faziam catequese na  Paróquia. Elas passaram a levar amigos e familiares e assim, o grupo foi crescendo”.

Alexandre conta que ainda não foi possível fazer o trabalho com moradores em situação de rua, num espaço público,  como gostaria.  Uma inclinação que ele desenvolveu atuando na Pastoral de Rua, no Rio de Janeiro, de onde saiu  para estudar no Seminário da Congregação odos Sagrados Corações, em Belo Horizonte.
   
 

“O fundamental no taekwondo  é  o aprendizado de uma disciplina  e os valores que o alunos agregam  durante os treinamentos. A última coisa que ensinamos é a luta”

Mas a grande aceitação da proposta  no bairro serviu de incentivo para ele ampliar os treinos. A Associação Comunitária do Jardim Alvorada também acolheu  a proposta que  hoje  tem aproximadamente 180 alunos entre crianças, adolescentes, jovens e adultos. “O que me gratifica é o reconhecimento dos alunos que, nos eventos para troca de faixas relatam o quanto as aulas de taekwondo  transformaram suas vidas”,  conta  Alexandre ,  que veio do Rio de Janeiro para estudar no Seminário Sagrados Corações, em Belo Horizonte.          

Levado pelo primo, Robson Lucas Damasceno não parou mais de frequentar os treinos . Aos 17 anos, ele destaca as conquistas fora do curso, como disciplina e respeito ao próximo. “Hoje, convivo em paz com minha mãe. Em casa, acabaram as discussões  e nas ruas aprendi a refletir sobre o cuidado no trato com as pessoas. Penso sempre com calma antes de agir, como  ensina o professor. Se a gente que está acostumado com a luta se machuca, que não está vai se machucar ainda mais se a gente sair por aí aplicando os golpes. Aprendi a ter paciência com outros , o que é o muito importante na convivência”, afirma.

Concentração  no trabalho e entrosamento com a família foram  os benefícios  obtidos pela  babá e dona de casa Rosana Geralda dos Santos com a prática do taekwondo. “Procurei  os treinamentos  porque estava com uma vida sedentária e encontrei muito mais do que a oportunidade de uma atividade física”. Rosana conta que o convívio familiar  ficou mais agradável e que hoje há muito mais  diálogo com o marido e as duas filhas. “Eles me perguntam sobre os treinos e partir daí a gente conversa bastante. Uma pena que as meninas  não têm tempo de praticar  porque trabalham e estão na universidade”.

“O fundamental numa arte marcial como taekwondo  é  o aprendizado de uma disciplina  e os valores que o alunos agregam  durante os treinamentos. A última coisa que ensinamos é a luta.  Honrar pai e mãe é nosso  principal ensinamento, o que tem  transformado a conduta dos jovens  no convívio familiar e na escola”, explica o professor.