Você está em:

Assembleia Geral do Clero reflete sobre elaboração do plano pastoral

 

 

A elaboração do Plano de Pastoral da Arquidiocese de Belo Horizonte, fundamentado nas Diretrizes do Projeto de Evangelização Proclamar a Palavra, construído durante a 5ª Assembleia do Povo de Deus, foi o tema principal da Assembleia Geral do Clero da Arquidiocese de BH, presidida por dom Walmor nesta terça-feira, na Unidade São Gabriel da PUC Minas. Os bispos dom Walmor, dom Joaquim Mol, dom João Justino e dom Edson Oriolo entregaram aos padres um exemplar do subsídio do Projeto de Evangelização.

 

Na reunião, o Arcebispo apresentou os sacerdotes eleitos para conduzir as quatro regiões episcopais, os vicariatos especiais e os diversos setores da Igreja e os padres elegeram o Conselho Administrativo e o Conselho Fiscal do Fundo de Solidariedade, indicando um sacerdote para representar cada região episcopal. O clero teve, ainda, a oportunidade de conhecer o Sistema de Gestão de Paróquias (SGP). Uma plataforma digital com diversas ferramentas preparadas para facilitar os procedimentos administrativos das paróquias, além de contribuir com as atividades pastorais e de evangelização. 

 

A programação da Assembleia incluiu também uma bonita apresentação de canções natalinas pela Orquestra de Flautas e Coral Sonoro Despertar da Paróquia São Marcos, sob a regência da Professora Celeste Alda.

 

A Orquestra de Flautas e o Coral Sonoro Despertar, da Paróquia São MArcos, apresentaram repertório com canções de Natal

Projeto de Evangelização Proclamar a Palavra

 

Após a oração inicial, que abriu a Assembleia Geral do Clero, o Arcebispo apresentou as diretrizes da ação evangelizadora da Arquidiocese, contidas no Projeto de Evangelização Proclamar a Palavra, fruto da 5ª Assembleia do Povo de Deus.

 

Dom Walmor destacou que o Ministério da Palavra precisa ser exercido por todos os cristãos nas mais diversas situações: seja na família, entre os vizinhos, no trabalho, com os amigos, seja na igreja, na leitura orante, no círculo bíblico. “Proclamar a Palavra de Deus tem que ser a alma do nosso projeto de evangelização” -afirmou o arcebispo, ao chamar a atenção para o desafio que é a missão de ser ministro da Palavra. “Nós temos os ministro extraordinários da Palavra, formados especialmente com essa missão, mas todos nós devemos ter o compromisso de ser ministros ordinários da Palavra”, sublinhou. 

Dom Joaquim Giovani Mol apresentou um vídeo com sugestões de como as paróquias devem proceder na escolha das diretrizes para a elaboração do plano pastoral que norteará o seu trabalho evangelizador nos próximos quatro anos, a partir das dez prioridades do Projeto de Evangelização Proclamar a Palavra.

1 – Rede de Comunidades

2 – Opção preferencial pelos pobres

3 – Igreja da Acolhida

4 – Fé, Política e Cidadania

5 – Família

6 – Protagonismo dos leigos e leigas

7 – Opção preferencial pelas juventudes

8 – Formação integral e permanente

9 – Catequese

10 – Comunicação e Cultura

Segundo dom Mol, na elaboração do plano pastoral, as paróquias precisam observar dois pontos fundamentais: que não podem fazer tudo ao mesmo tempo, mas podem desenvolver alguns compromissos prioritários com grande intensidade, “de modo que a gente olhe para aquela paróquia e reconheça sua especialidade, por exemplo, esta é especialista em rede de comunidades, essa outra, na forma de lidar com a família ou em catequese. Desse modo, a primeira pergunta  que devemos fazer é: nós queremos nos especializar em que?;  o segundo passo, para fazer bem o plano pastoral é  questionar: nós damos conta? Nós temos potencialidade? Nós temos possibilidade real?”. O primordial, de acordo com o bispo, é a paróquia escolher bem o caminho e acertar  as condições de percorrer esse caminho, para que o planejamento seja bem feito.

A partir da conclusão do Plano Pastoral Paroquial,  as foranias vão se encontrar para organizar a forma que será feita a partilha dos projetos pastorais das paróquias. Com os Planos Pastorais Paroquiais prontos, de acordo com dom Joaquim Mol,  as regiões vão organizar o seu trabalho para articular os temas, reunir as paróquias que estão caminhando na mesma direção, e assim, economizar energia e recursos, ao mesmo tempo em que oferecem formação para as pessoas.  “A Arquidiocese já fez a sua parte, dando as orientações e estipulando os dez compromissos. As paróquias, por sua vez, vão fazer o que lhes compete, ou seja, o Plano Pastoral Paroquial. As foranias vão distinguir os projetos a ser partilhados no seu âmbito, e as regiões episcopais, oferecer formação, buscando articular esses projetos”.-sintetizou dom Mol.

A importância do envolvimento dos leigos e leigas no projeto de Evangelização Proclamar a Palavra foi lembrada por dom João Justino, observando que 2018 será o ano do laicato da  Igreja no Brasil. O que, segundo o bispo auxiliar,  pode ser estendido a outros países, a partir do encontro de um grupo de brasileiros com o Papa Francisco, que sugeriu ao pontífice envolver a Igreja do mundo inteiro na reflexão desse assunto.