Você está em:

[Artigo] Pastoral do Dízimo: motivação e participação permanentes – Renata S. Santiago, Pastoral Arquidiocesana do Dízimo de BH

Promove-se o dízimo cultivando a fé. A experiência do dízimo cresce com a qualidade da vida cristã, principalmente, do seu aspecto comunitário. Cabe à Pastoral do Dízimo viabilizar o contato direto com os dizimistas, de maneira personalizada e que proporcione interação e possibilite a conscientização. Para isso o preenchimento completo do cadastro do dizimista (em plataforma eletrônica específicas adotadas pelas dioceses) torna-se uma ferramenta muito importante, visto que o mesmo oferece relatórios que irão facilitar o contato pessoal e o planejamento pastoral.

Os paroquianos bem recebidos, valorizados e satisfeitos sentem-se membros da comunidade e demonstram lealdade, fazendo a paróquia crescer e prosperar tanto na dimensão material quanto na experiência do encontro com Deus.
Sugere-se que para manutenção do dízimo a paróquia:
a) Realize um trabalho missionário de visitas e acolhimento constantes;
b) Cuide dos dizimistas;
c) Promova campanhas periódicas;
d) Mantenha o cadastro dos fiéis dizimistas sempre atualizados;
e) Invista na formação dizimal dos agentes de pastorais e movimentos;
f) Evite campanhas, rifas, taxas, excesso de festas e promoções que descaracterizem a opção dizimal;
g) Realize prestação de contas periódicas e com transparência;
h) Valorize as pessoas;
i) Promova momentos de espiritualidade com os dizimistas;
j) Use estratégias de comunicação e marketing a favor da conscientização dizimal, mas sem exageros;
k) Procure integrar todas as pastorais viabilizando a pastoral de conjunto;
l) Mantenha a pastoral do dízimo uma equipe forte, espiritualizada e bem preparada;
m) Planeje as ações;
n) Estipule metas e estratégias, usando criatividade;
o) Realize o trabalho coerente com a realidade paroquial e de acordo com as orientações arquidiocesanas;
p) Tome cuidado com a “teologia da prosperidade” e a “filosofia do coaching”;
q) Cuide para que haja aplicação fiel dos recursos nas dimensões do dízimo;
r) Viabilize o testemunho de dizimistas, pois costumam trazer impactos positivos no processo de conscientização permanente sobre o dízimo;
s) Recomenda-se, ainda, que a conscientização sobre o dízimo faça parte da iniciação à vida cristã, para que a todos seja dada a oportunidade de compreendê-lo. Fortalecendo-se assim a perpetuação da opção pelo dízimo.

Outras ações interessantes:
a) Domingo do dízimo
Para valorizar a opção dizimal, contribuindo com a fidelização, espiritualidade e conscientização sobre o dízimo orienta-se dedicar um final de semana de cada mês (sugerimos o segundo) ao dízimo. Na ocasião, podem ser utilizadas estratégias de marketing para conscientização, porém sem exageros. Cuide-se para não ferir a liturgia nem descaracterizar a Celebração Eucarística.
b) Mês do dízimo
Definir um mês para conscientização sobre o dízimo também é importante. Para a ocasião, poderão ser elaborados subsídios de apoio para as comunidades. Esse período deve ser utilizado para dar uma maior visibilidade aos propósitos e frutos do dízimo. Reconhecendo sua dimensão provedora da evangelização e realizadora da partilha comunitária onde todos são importantes.
c) Canais de comunicação
A PASCOM (Pastoral da Comunicação) é uma grande aliada no processo de conscientização dizimal. Além das forças locais, é importante disponibilizar uma fanpage no Facebook, com subsídios que podem ser utilizados durante o processo permanente de conscientização. Além de permitir a troca de experiências entre as paróquias. Outros recursos úteis são os canais no Youtube e grupos ou listas de distribuição do WhatsApp.

Renata Senhorinha Santiago
Coordenadora Arquidiocesana da Pastoral do Dízimo – Arquidiocese de BH