Você está em:

[Artigo] Mensagem para o Dia Mundial das Missões – Dom Otacilio F. de Lacerda, bispo auxiliar da Arquidiocese de BH

 

 

 

“Juntamente com os jovens, levemos o Evangelho a todos”

A mensagem do Papa Francisco para o  Dia Mundial das Missões, celebrado  neste domingo, dia 21 de outubro, tem como inspiração o lema: “Juntamente com os jovens, levemos o Evangelho a todos”. As palavras do Santo Padre são dirigidas aos jovens e a todos os cristãos que vivem, na Igreja, a aventura da existência como filhos de Deus, a fim de que realizemos a missão que Jesus nos confiou.

Essa mensagem está em perfeita comunhão com o Sínodo sobre  evangelização e juventude, que está sendo realizado em Roma, neste mês.

Segundo o Papa Francisco, a fé cristã permanece sempre jovem, quando se abre à missão que Cristo nos confia, a exemplo do que afirmou o Papa São João Paulo II “A missão revigora a fé” (Carta Enc. Redemptoris missio, 2).

A vida é missão, portanto, o homem e a mulher são missões, e essa é a razão pela qual se encontram a viver na terra – “Ser atraídos e ser enviados são os dois movimentos que o nosso coração, sobretudo quando é jovem em idade, sente como forças interiores do amor que prometem futuro e impelem a nossa existência para a frente” – afirma o papa no referido documento.

A Igreja, ao anunciar aquilo que gratuitamente recebeu (cf. Mt 10, 8; At 3, 6), pode partilhar com os jovens o caminho e a verdade que conduzem ao sentido do que é viver nesta terra: Jesus Cristo, morto e ressuscitado por nós, Se oferece à nossa liberdade e a desafia a procurar, descobrir e anunciar esse sentido verdadeiro e pleno.

Exorta para que os jovens não tenham medo de Cristo e de Sua Igreja – “para quem está com Jesus, o mal é um desafio a amar cada vez mais. Muitos homens e mulheres, muitos jovens entregaram-se generosamente, às vezes até ao martírio, por amor do Evangelho ao serviço dos irmãos. A partir da Cruz de Jesus, aprendemos a lógica divina da oferta de nós mesmos (cf. 1 Cor 1, 17-25) como anúncio do Evangelho para a vida do mundo (cf. Jo 3, 16)”. Isso somente é possível se inflamados pelo amor de Cristo, que consome quem arde e faz crescer, ilumina e aquece a quem se ama (cf. 2 Cor 5, 14).

É preciso transmitir a fé até os últimos confins da terra, levar o Evangelho a todos. Nisso, os jovens têm participação muito importante, “…e esta propagação da fé por atração requer corações abertos, dilatados pelo amor. Ao amor, não se pode colocar limites: forte como a morte é o amor (cf. Ct 8, 6). E tal expansão gera o encontro, o testemunho, o anúncio; gera a partilha na caridade com todos aqueles que, longe da fé, se mostram indiferentes e, às vezes, impugnadores e contrários à mesma”.

Ser presença evangelizadora em ambientes humanos, culturais e religiosos, ainda alheios ao Evangelho de Jesus e à presença sacramental da Igreja, constituem as periferias extremas, os “últimos confins da terra’.

Em sua mensagem, o Papa Francisco ressalta o mundo digital, as redes sociais, como campos em que os jovens podem “navegar” e evangelizar.

É preciso que os jovens testemunhem o amor em todas as realidades eclesiais em que se encontram (paróquias, associações, movimentos, comunidades religiosas, expressões de serviço missionário).

O Papa enfatiza a importância das Pontifícias Obras Missionárias (POMs), que nasceram de corações jovens para apoiar o anúncio do Evangelho a todos os povos, contribuindo para o crescimento humano e cultural de muitas populações sedentas de Verdade: “As orações e as ajudas materiais, que generosamente são dadas e distribuídas através das POMs, ajudam a Santa Sé a garantir que, quantos recebem ajuda para as suas necessidades, possam, por sua vez, ser capazes de dar testemunho no próprio ambiente. Ninguém é tão pobre que não possa dar o que tem e, ainda antes, o que é”.

Ao concluir a mensagem Mensagem para o Dia Mundial das Missões , o Papa exorta os jovens a se tornarem discípulos missionários, cada vez mais apaixonados por Jesus e pela Sua missão, até os últimos confins da terra, contando com a intercessão e a presença de Maria, Rainha dos Apóstolos, dos Santos Francisco Xavier e Teresa do Menino Jesus e do Beato Paulo Manna.

 

 

 

Dom Otacilio Ferreira de Lacerda
Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte