Você está em:

Artigo de dom Otacílio – Louvores e clamores que sobem deste chão

Olhemos para o chão de nossa Pátria querida. Amá-la é também amar os que nela pisam, vivem, trabalham, sonham, lutam, com invejáveis esforços, conquistam vitórias.

Assim é o chão de nossa Pátria: nele pisam pés santos e outros nem tanto. Pisam aqueles que roubam impunemente, que semeiam a mentira e contravalores, que destroem a beleza da vida, a solidez da família. Pisam, sordidamente, aqueles que violam a vida, com leis que atentam contra a maioria, em prejuízo do bem comum, atendendo aos interesses de poucos.

Por isso, deste chão, aos céus, sobem louvores e clamores. Importa multiplicar os louvores, procurando caminhos de superação e escuta solidária dos clamores.

Neste sentido, há caminhos dos quais não podemos olvidar. O primeiro deles é a Sagrada Escritura. É preciso que a ressonância da Palavra ouvida faça, não somente neste mês dedicado à Bíblia, o itinerário da mente e do coração, provocando o desejo e suscitando renovados compromissos de ações transformadoras, que em muito tornam melhores nossos relacionamentos pessoais, eclesiais e sociais. Este é o desejo e compromisso do Deus Bíblico (cf. Êxodo cap. 3).

O segundo são as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (2015-2019) e seu Objetivo Geral: “Evangelizar, a partir de Jesus Cristo, na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida, rumo ao Reino definitivo.”

Por amor à Igreja, à vida e à Pátria, na busca de respostas aos clamores e súplicas, ultrapassando as fronteiras da Igreja, temos nas Diretrizes valioso instrumento, para que, à luz da Palavra de Deus, possamos todos nos empenhar na construção de uma sociedade mais justa e fraterna. É preciso que nos ponhamos em intensa abertura e sensibilidade, trilhando o caminho da conversão e do renovado compromisso com Jesus, para que sejamos uma Igreja testemunha, e para tanto, que antes se faça discípula, deixando-se iluminar pela fonte da Palavra Divina, ricamente anunciada e proclamada nas Missas e Celebrações.

Precisamos de uma Igreja verdadeiramente Eucarística, que se nutre da Palavra, renova e empenha toda a sua força e vida, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para assim evangelizar e se evangelizar, na mais perfeita expressão e concretização da caridade.

Dom Otacilio F. Lacerda
Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte