Você está em:

[Artigo] A Palavra de Deus deve ser estudada – Neuza Silveira, Secretariado Arquidiocesano Bíblico-Catequético de Belo Horizonte

A bíblia é um pouco difícil de ser entendida. Todos os dias deve-se fazer uma leitura de algum texto da bíblia. De preferência, escolher o Evangelho do dia, mais a primeira leitura sugerida que é do Antigo Testamento, até a gente se acostumar. Estas duas leituras trazem em si uma correspondência que nos ajuda a entender o que Deus quer que façamos e como podemos fazer, considerando os ensinamentos de Jesus.

 

Muitos cristãos perguntam quando e onde a Bíblia foi escrita. O Primeiro Testamento formou-se ao longo de oito séculos e o segundo ao longo de um século. Além disso, os livros, e dentro deles os textos, não estão em ordem cronológica. A maioria dos livros do Antigo Testamento surgiram por volta do período do Exílio da Babilônia, que aconteceu no século VI e deram continuidade aos escritos até o primeiro século, antes da Era Cristã. Segundo informação dos estudiosos, o livro da Sabedoria é considerado o último livro escrito, por volta dos anos 50, antes da Era Cristã.

A convocação é para se viver fecunda espiritualidade, balizando ações de prevenção, gestos de solidariedade, obediência às indicações e determinações das autoridades em saúde pública para, em breve, abrir novo ciclo, no Brasil e no mundo.

INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA

Existem vários modos ou métodos de leitura da Bíblia. O Catecismo da Igreja Católica, nos nº 109 a 119 oferece uma boa maneira para fazer uma boa interpretação. Diz que para uma boa interpretação é preciso estar atento àquilo que os autores humanos quiseram realmente afirmar e aquilo que Deus quis manifestar pelas palavras deles. Também a Igreja apresenta o documento: A interpretação da Bíblia na Igreja. Vamos, aos poucos, aprofundando esses vários métodos.

 

Os diversos estilos literários encontrados nos textos Bíblicos: Romance, contos de fadas, lendas, poemas, parábolas, histórias (de reis, de guerras), provérbios, cartas, homilias, sermão, orações, etc. A Bíblia não transmite dados exatos, não conta histórias, ela quer transmitir uma mensagem que fala ao coração, que prolonga uma resposta.

Apresenta: alianças, projetos, revelação. E Jesus é a revelação mais perfeita de Deus.

 

Vários são os cuidados que devemos ter para fazer uma boa leitura;

  • A bíblia não pode ser lida como se fosse um livro de fórmulas mágicas, de ciências ocultas, nem tão pouco traz previsões do futuro. Como já dissemos, ela relata uma realidade vivida, experienciada.
  • A Bíblia é um livro que está disponível para todas as pessoas que queiram lê-la, conhece-la, estuda-la. Não se trata de um conhecimento acessível somente a poucos privilegiados. Assim, precisamos estar atentos à leitura com fidelidade, não usar frases isoladas, desvinculadas de seu contexto, pois assim, elas perdem o seu sentido e significado.
  • Uma boa leitura bíblica não pode desprezar seus aspectos sociais, políticos e culturais. Nesse sentido, a leitura não pode se fixar penas em sentimentos devocionais, na sua dimensão religiosa, sem levar em conta as realidades presente do povo, suas fraquezas e sentimentos.
  • Toda a interpretação da Palavra deve estar de acordo com o projeto de Jesus. Uma boa leitura e interpretação do texto bíblico resulta de ter em mente as várias dimensões da vida, lembrando que Deus é Deus em todas as dimensões da Vida, não só na religião.
  • Um outro alerta ao ler a bíblia é lembrar que seus livros não tem por objetivo oferecer leituras e ou pesquisas científicas. Não se pode negar a inspiração divina dos textos. Não se pode fazer uma leitura da formação do povo, suas várias civilizações, sem demonstrar interesse nas civilizações humanas. Não se pode materializar o texto. Precisa-se usar o coração. Uma boa sugestão é cultivar o hábito da Leitura Orante, a prática dos encontros de estudos bíblicos, formas que possibilitam a partilha de experiências e compreensões do texto na vida. Refere-se a um reconhecimento da presença de um Deus vivo na história

A bíblia é um livro para se ler com os pés no chão, relacionando-a com a vida, no nosso cotidiano, procurando melhorar o aqui-e-agora de toda a humanidade.

Para refletir: a Bíblia é um livro que fala, abre nossas mentes para uma vida libertadora, agradável e correta.

Neuza Silveira de Souza
Coordenadora do Secretariado Arquidiocesano
Bíblico-Catequético de Belo Horizonte