Você está em:

Arquidiocese de Belo Horizonte realiza encontro da 6ª Assembleia do Povo de Deus

Sacerdotes e delegados – indicados pelas paróquias, regiões episcopais e vicariatos – participaram neste sábado, dia 23 de novembro, da  Assembleia Arquidiocesana da 6ª Assembleia do Povo de Deus (APD). O momento, presidido pelo arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo e conduzido pelo Vigário Episcopal para a Ação Pastoral padre Joel Maria dos Santos, é dedicado à aprovação das diretrizes atualizadas dos muitos trabalhos de evangelização na Arquidiocese de Belo Horizonte.

Assim, a 6ª APD é oportunidade singular para atualizar o Projeto de Evangelização Proclamar a Palavra da Arquidiocese de BH, no horizonte das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (CNBB). O documento com as orientações com o Projeto atualizado será publicado no dia 8 de dezembro.

Na coletiva de imprensa, dom Walmor relembra a caminhada da 6ª APD, iniciada em agosto de 2019, e destaca também a importância da Assembleia Arquidiocesana para as comunidades de fé. “A Arquidiocese de Belo Horizonte tem uma história missionária de comunhão e participação muito bonita e, cada vez que realizamos uma Assembleia do Povo Deus, essa bonita trajetória se confirma, pois abrimos um espaço para o diálogo,  necessário e importante para renovarmos as diretrizes dos muitos trabalhos desenvolvidos na Igreja, guiada sempre pelo amor misericordioso de Deus”.

As Assembleias do Povo de Deus são realizadas desde a década de 1990, a cada quatro anos. Trata-se de oportunidade para que os fiéis indiquem prioridades, sugestões e contribuam para a renovação das diretrizes, sempre a partir das orientações do Papa e em sinergia com a Igreja Católica em todo o Brasil.

Para ouvir os fiéis, a Arquidiocese de Belo Horizonte, mais uma vez, realizou uma pesquisa junto aos fiéis. Também foi realizada uma série de assembleias, regionais e paroquiais, seguidas da elaboração de sínteses. O resultado desse percurso, que reúne as principais indicações vindas dos fiéis, foi submetido à avaliação final neste último encontro. Essa avaliação foi feita por representantes das comunidades de fé, indicados pelas próprias paróquias.