Você está em:

 

A apresentação do Senhor – que celebramos, este ano, na terça-feira, dia 2 de fevereiro -, é uma das festas mais antigas da Igreja Católica. É o dia em que Nossa Senhora e São José apresentam o Menino Jesus.

Apresenta-se a Luz das nações. Recebe também a nossa oferta. É aceito o sacrifício santo para a purificação do Templo. Purificação do coração, da alma, do Espírito. É nos apresentado o Senhor. Ei-Lo, Jesus, causa de quedas e soerguimentos para os povos. Luz das Nações e glória de Israel, Ele nos conduz à conversão. Crer em Sua Palavra; Ele é a Palavra Viva; crer no evangelho; assim, nasce a vocação cristã.

No despertar da luz, do despertar da verdadeira fé, é-nos apresentado Jesus. Ele que está no meio de nós.  O convite para a purificação do coração. Por Maria, que neste mês, também é celebrada com o título de Nossa Senhora de Lourdes, nos é dada a água da purificação, a água do amor, a água que jorra para lavar, curar e despertar. Despertar como luz das nações e como testemunho da glória de Deus sobre uma vida, uma família, um povo, Israel – você, eu, todos nós.

Nesta primeira quinzena de fevereiro, nos é aberto um grande caminho com todo esse despertar, para também nos apresentarmos diante de Deus com nossas buscas, nosso interior, nossa missão. Qual será a sua missão? Qual será a sua vocação? A vocação define nossa identidade, nos leva a um encontro interior profundo, purificados das dúvidas, dos medos, dos receios e inseguranças; nos faz canais fortes e luminosos da glória de Deus no meio do seu povo. Você é convidado a se apresentar com sua vida diante de Deus e se colocar como forte sinal da glória de Deus no meio em que vive e, sobretudo, no coração da igreja.

 

A vocação é um caminho infindo de encontros e de manifestações da vontade do Pai, que nos unge e consagra para toda a missão, desde o ventre materno

Podemos contemplar também, a partir do dia 10 de fevereiro, quarta-feira de cinzas, o tempo quaresmal. A reflexão sobre as cinzas que nos levam ao pó, ao nosso nada, o que nos traz a esperança do renascer após um forte período de caminhada com Jesus.

No colo da Virgem de Lourdes, meditamos sobre a água que jorra da gruta e multiplica suas curas, suas graças sobre um mundo em busca de resoluções de vida e de fé. Busca de Deus. Você é convidado a ser também sinal que aponta para o coração dela, a Virgem Maria e, confiante na intercessão dela, a ser forte guardião dos passos desta Quaresma. Ser guardião dos 40 dias com Jesus que, agora, se apresenta no deserto, e se coloca em preparação para o sacrifício, por você. Sacrifício de Amor.

Ele se apresentou no templo, Ele marcou você com o convite: “Convertei-vos e crede no Evangelho”. Ele lhe deu Maria, sua mãe, neste tempo com o título de Lourdes, para abençoar e enviar cada um de nós, em missão, às nações em volta de sua vida. Ele foi chamado Jesus, conforme o anjo havia orientado.

Naquela cultura, o nome designava a identidade e a missão da pessoa. Jesus quer dizer “Deus salva”. Seja você também sinal, não tenha medo de descobrir-se nesta marca, purificado, para a missão que Deus o presenteou. Ser canal de salvação, em nome de Jesus. O anjo havia orientado qual seria o nome de Jesus. Nesse nome já estava inserida a missão que Ele teria. Você é chamado pelo nome, não tenha medo (Is 43,1). “Desde sempre já és precioso e tens os olhos do Senhor voltados com ternura para ti” (Is 43,4). O nome designava já a missão da pessoa. Quando Jesus foi apresentado, ali lhe foi dado o nome, como propósito de Deus já inserido em toda a missão salvífica. Não se contempla aqui apenas um ato comum de ser apresentado, mas, toda a confirmação da missão de Jesus e de Maria, que também ouviu do velho Simeão: Uma espada de dor transpassará a tua alma. O ato de sermos batizados, consagrados e crismados, nos leva a marca do nosso ser cristão, consagrados ao coração de Deus nosso Pai, a marca adotiva de filhos e cristãos, outros Cristos. E, como também, de nosso próprio desejo e coração, confirmamos ao sermos conscientes em nossa idade, a nossa certeza como filhos e cristãos, desejados, amados e escolhidos do Pai.

Tomamos a nossa responsabilidade e caminhamos no crescimento à estatura de Cristo. Alimentados agora, com a solidez de uma fé preparada desde os princípios cristãos, os primeiros ensinamentos,  adquiridos na maioria das vezes pelos nossos pais. Mas, com a fé que sempre existiu no coração do homem e que está inserida em seu ser natural, cultivada pelos primeiros passos, me coloco a caminho, tomando por mim mesmo a direção.

A vocação é um caminho infindo de encontros e de manifestações da vontade do Pai, que nos unge e consagra para toda a missão, desde o ventre materno, a escolha, em nossa apresentação diante do Senhor, a nossa própria determinação e o nosso sim espontâneo, livre em gratidão e reconhecimento do amor de Deus, eterno por nós e, nosso por Ele.

 

Neive Fernandes
Consagrada da Comunidade Verbo Eterno