Você está em:

Admiração que se torna oração

Às vezes acontecem coisas estranhas. Ao passar por um lugar, por onde passamos centenas de vezes e, de repente, ele parece ser diferente, novo, cheio de significados que sequer imaginávamos. É o assombro, a contemplação, o encantamento… A admiração é a irmã da fé. É o grito cheio de surpresa que brota do mais profundo do nosso ser diante do “mistério” que nos envolve e nos escapa.

 

Mistério: termo que remete a myo, fechar os lábios, quando a pessoa leva a mão à boca para se calar e cede lugar ao ouvir e ao silêncio. É docilidade à audição da voz que nos habita; é o sussurro que vem da realidade e das coisas, despertando nosso ser para o espanto, para a maravilha e para o milagre.

 

Mistério significa a percepção de algo escondido de uma realidade não-manifestada e não-comunicada. Neste sentido se pode dizer que a vida humana, as pessoas com quem convivemos, a realidade que nos cerca, o universo, a história são mistérios para nós. Tudo é mistério.

 

Diante do mistério que desperta a admiração, somos convidados a enxergar além das aparências, a adquirirmos outro olhar sobre a realidade, a vida e as pessoas

Mistério não se opõe a conhecimento, não é o que não se pode conhecer de algo. Refere-se, antes, a algo que pode ser conhecido, mas o nosso conhecimento nunca consegue apreender sua totalidade. É o ilimitado do conhecimento. Conhecer mais e mais, entrar em comunhão cada vez mais profunda com a realidade que nos envolve. Portanto, a palavra mistério se refere mais à inesgotabilidade da realidade do que à nossa incapacidade de conhecimento. Daí que a atitude diante dessa realidade é a do silêncio, da admiração e do espanto.

 

O mistério nos mantém sempre na admiração até ao fascínio, na surpresa até a exaltação. É a capacidade do ser humano de se comover diante do mistério de todas as coisas. Não é pensar as coisas, mas sentir as coisas tão profundamente que percebemos o mistério fascinante que as habita.

O mistério não diz respeito a teorias, a doutrinas; diz respeito, antes, a uma experiência, uma vivência que nos invade e nos conduz para caminhos novos. Diante do mistério que desperta a admiração, somos convidados a enxergar além das aparências, a adquirirmos um outro olhar sobre a realidade, a vida e as pessoas. William Blake, poeta inglês, escreveu: “Ver um mundo num grão de areia, um céu estrelado numa flor silvestre, ter o infinito na palma da mão e a eternidade numa hora”.

 

O mistério irrompe como voz que convida a escutar mais e mais a mensagem que vem de todos os lados como apelo sedutor para nos mover mais e mais na direção do coração de cada coisa. Ele pertence a uma dimensão humana à qual todos têm acesso quando vivem em profundidade e conseguem penetrar nos níveis mais profundos da vida. Eis a plenitude da vida: mergulhar naquela Presença benfazeja que nos enche de sentido, de alegria e nos surpreende a cada momento, sorrindo entre as coisas.

 

Exercício Espirituais 60
Textos bíblicos: Lc 7,1-10 /  Lc 10,21-24
Fonte: Centro Loyola de Espiritualidade
www.centroloyolajf.com.br