Você está em:

Abertura do CMUC reúne mais de mil participantes na PUC Minas


 

Novos tempos, novos sentidos

 

 Ao som da apresentação do Coral Lírico de Minas Gerais, começou nessa quinta-feira, no Campus Coração Eucarístico da PUC Minas, em Belo Horizonte, o Congresso Mundial de Universidades Católicas (CMUC). A finalidade do CMUC é propor a reflexão sobre os desafios para a educação católica na atualidade. 

 

Mais de mil congressistas participaram da solenidade de abertura do evento que contou com representantes de universidades de 30 países. Foi lida mensagem enviada pelo Papa Francisco, felicitando a Arquidiocese de Belo Horizonte  pela realização da Semana Missionária, na qual o CMUC se inclui como parte da programação. Os quase três mil participantes do Congresso estarão reunidos na capital mineira até domingo, dia 21, para conferências e mesas redondas em torno do tema “Novos tempos, novos sentidos”. 

 

 

O cardeal ganês Peter Turkson, cotado como um dos favoritos a papa no último conclave, foi o convidado de honra para compor a mesa principal ao lado de autoridades políticas, religiosas e reitores de universidades . Turkson é um dos conferencistas confirmados. O cardeal, que é presidente do Pontifício Conselho de Justiça e Paz no Vaticano, participará de mesas redondas e coordenará duas conferências. 

  

O reitor da PUC Minas,  dom Joaquim Giovanni Mol, declarou aberto o evento afirmando que não se pode refletir sobre os “Novos tempos, novos sentidos”, temática do Congresso, sem trazer para o presente e o futuro “a arrebatadora beleza e a originalidade perene do Evangelho de Jesus Cristo, aplicadas à vida acadêmica, mostrando o quanto ele é atual, forte, pleno e mobilizador. Capaz de renovar permanentemente a ação educativa e, ao mesmo tempo, de colocar-nos na vanguarda de efetivas  contribuições para o desenvolvimento das ciências , formação  profissional e da edificação de uma sociedade mais justa, fraterna, e livre. Uma sociedade comprometida com a vida,  plural e francamente aberta à superação de si mesma e à transcendência a Deus”. 

 

Dom Mol destacou que a Igreja tem, na atualidade, um sinal de renovação que deve ser considerado seriamente: o Papa Francisco. E que  os debates e reflexões dos participantes do Congresso sirvam para que as universidades sigam essa direção. 

 

O arcebispo metropolitansso de Belo Horizonte e grão-chanceler da PUC Minas, dom Walmor Oliveira de Azevedo, destacou o importante papel das universidades católicas na transformação da sociedade, no novo contexto instituído pelos jovens, especialmente no Brasil, com manifestações que pediam nova conduta política e social, fundamentada na ética. 

 

Dom Walmor conclamou os participantes do SMUC a discutirem e contribuírem, sobretudo, escutando os estudantes,  mas também “a experiência bonita e consolidada de tantos,  para que, olhando a sociedade, possam fazer das universidades católicas grandes instrumentos do diálogo, por meio do qual o mundo precisa se aperfeiçoar. Que as universidades sejam instrumentos importantes para a cultura da vida e da paz,  para ajudar a mudar o que precisa ser mudado de modo decisivo no mundo da política e nas nossas sociedades e, assim, cumprirmos bem a tarefa que a nossa Igreja, na sua  missão evangelizadora, realiza através das suas universidades”, disse o arcebispo.

 

 

Novos tempos, novos sentidos

 

Entre os três mil participantes do Congresso Mundial de Universidades Católicas estão estudantes, professores, funcionários, reitores e membros de pastorais universitárias.

O Congresso, segundo o coordenador executivo e professor de Ciências da Religião da PUC Minas, Carlos Frederico Barboza de Souza, busca pensar o papel das universidades católicas e as pastorais universitárias, detendo-se sobre o tema “Novos tempos, novos sentidos”. Ainda de acordo com o professor, o CMUC também “é um espaço aberto às instituições de ensino superior católicas do mundo e às diversas pastorais universitárias para discutirem o seu papel diante da atual “realidade marcada por grandes mudanças”, conforme nos afirma o documento da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe (DA, 33)”.

Antecedendo à Jornada Mundial da Juventude, que terá lugar na cidade do Rio de Janeiro, o Congresso Mundial de Universidades Católicas é uma realização da PUC Minas, instituição da Arquidiocese de Belo Horizonte, em conjunto com a Santa Sé – por intermédio da Sagrada Congregação para a Educação Católica – com a Federação Internacional de Universidades Católicas (FIUC), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Organização de Universidades Católicas da América Latina e Caribe (ODUCAL), a Associação Nacional de Educação Católica (ANEC) e a Arquidiocese de Belo Horizonte.

O CMUC conta também com o apoio do Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM), a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), o Governo do Estado de Minas Gerais e a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH).

“Pautado na temática principal “Novos tempos, novos sentidos”, o CMUC 2013 se articula ao redor de quatro eixos: 1) Fé e crise de sentido; 2) Espiritualidade e Comunicação: lócus de construção do humano; 3) Família, amizade, afetividade e sexualidade: desafios para um amor integral; 4) Universidade, cultura da paz e protagonismo juvenil”, explica o coordenador do evento.

Congresso reúne conferencistas de renome internacional

Por meio de grandes conferências e mesas redondas, as temáticas  do CMUC serão abordadas pelos seguintes conferencistas:
Cardeal Peter Turkson (Gana – Itália)
Prof. Dr. Michael James (EUA)
Prof. Dr. Antônio Spadaro, SJ  (Italia)
Jornalista Beatriz Castro (Brasil)
Prof. Dr. Bruno Forte (Itália)
Prof. Bunker Roy (Barefoot College Índia)
Meagan Carnahan Fallone (Barefoot College, Nova Zelândia/Índia)
Prof. Dr. Christian Roncagliolo Pacheco (Chile)
Prof. Dr. João Batista Libanio, SJ (Brasil)
Prof. Dr. José Tolentino  Mendonça (Portugal)
Profª. Dra. Marta Séïde (Haiti – Itália)
Músico e compositor, Martin Valverde (Costa Rica – México)
Prof. Nathalie Becquart (França)
Prof. Dr. Pedro Rubens Ferreira de Oliveira, SJ (Brasil)
Prof. Ms. Ricardo Fenati (Brasil)
Prof. Dr. Michael James (EUA)
Montserrat Alom (Espanha – França)
Nicolás Vergier (França)
Walter Pryshton (Brasil – França)
Dom Vincenzo Zani (Itália)

Atividades complementares

De acordo com o professor Carlos Frederico, além das conferências e mesas redondas, enriquecem a programação do Congresso atividades variadas realizadas nos períodos da tarde e que se configuram de várias formas: minicursos, fóruns, painéis, mostras artístico-culturais e arenas temáticas. As arenas consistirão na apresentação de trabalhos de pesquisa, estudos e/ou relatos de casos que serão agrupados de acordo com a proximidade da temática abordada. Haverá também um Fórum de Reitores, uma Arena Temática específica para a pastoral universitária, um Painel de professores de Cultura Religiosa ou disciplinas teológicas presentes nas graduações de Instituições de Ensino Superior Católicas, dentre outros.

O coordenador do CMUC destaca ainda a realização da Feira de Universidades. “Esse espaço é destinado às universidades para que elas possam apresentar um pouco de sua ação na graduação, pesquisa, extensão e pastoral, além de ser um ótimo lugar para troca de ideias, contatos e estabelecimento de parcerias”, destaca.

Outras informações sobre o Congresso Mundial de Universidades Católicas (CMUC 2013) estão disponíveis no site www.cmuc.pucminas.br.

 
Coral Lírico de Minas Gerais, da Fundação Clóvis Salgado

 


Mais de mil pessoas participaram da abertura do CMUC na PUC Minas