Você está em:

A vocação nasce do encontro com Deus

A vocação nasce do encontro com Deus. Este pode ser vivenciado em um contexto familiar, no cultivo da espiritualidade e dos valores evangélicos, na participação na comunidade de fé e em grupos de pastorais. 
 
Estes são alguns dos meios que favorecem o amadurecimento cristão dos jovens e a consciência de que a vocação é um chamado de Deus, que ama e envia em missão. A escolha vocacional é fruto de um processo de discernimento, isto é, um itinerário formativo que ajuda a perceber os sinais de Deus na caminhada e ter clareza do que Deus quer de mim, para que Ele me chama.

Santa Bartolomea Capitaneo
 

Santa Bartolomea Capitaneo é a fundadora da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora Menina. Nasceu no dia 13 de janeiro de 1807, na cidade de Lôvere, norte da Itália. De família simples, foi educada na fé e na caridade.
 
A realidade em que viveu, no pós-guerra da Revolução Napoleônica, era de destruição, pobreza, epidemias de cólera, de tuberculose e fome. Foi neste contexto social que Santa Bartolomea aprendeu com sua mãe, que era uma mulher que vivia profundamente a caridade cristã, a fazer o bem para o próximo.
 
Santa Bartolomea fez seus estudos em um colégio interno de Lôvere, pertencente às Irmãs Clarissas. Ingressou com 12 anos e permaneceu até os 17, quando retornou para casa para ajudar a sua família. Contribuiu, efetivamente, na constituição e acompanhamento de diversos grupos em sua paróquia. Foi uma grande líder, principalmente em meio à juventude.
 
Santa Bartolomea sentia-se muito amada por Deus, por isso, desejava amar também. Para ela o amor se expressava em uma pessoa, Jesus Cristo. Compreendia profundamente que Jesus deu sua vida para salvar a humanidade e ela desejava fazer o mesmo.  A caridade era o seu jeito de seguir Jesus, por isso foi incansável no serviço aos pobres, doentes, jovens, anciãos, encarcerados, abandonados, e todos aqueles que sofriam. Acreditava no poder da educação e, por meio de uma pequena escola construída no porão de sua casa, dedicou-se a ensinar crianças pobres. Em um de seus escritos ela declara: “Gosto muito daquela bendita caridade para com meu próximo”.
 
O tempo foi passando e Bartolomea foi crescendo e também crescia nela a certeza de que Deus a amava muito e a chamava para prolongar este amor para com as pessoas, principalmente as mais pobres “Boa parte do dia seja dedicado à oração a fim de que todos os atos de caridade nascendo da oração produzam bons frutos”. Essa atitude de oração e confiança em Deus foi o que moveu Santa Bartolomea para fazer o bem, amar e servir. Em outro escrito ela diz: “Sei que o verdadeiro amor a Deus não se separa do verdadeiro amor ao próximo”.
 
O grande ideal de Santa Bartolomea inspirado por Deus foi concretizado na fundação de um Instituto: “O Instituto a ser fundado em Lôvere deve ser todo fundado na Caridade a exemplo de Jesus Redentor”. No dia 21 de novembro de 1832, Bartolomea e Santa Vincenza Gerosa, sua primeira companheira de caminhada, fundaram o tão sonhado Instituto, hoje conhecido como Congregação das Irmãs de Nossa Senhora Menina.
 
Após seis meses de fundação do Instituto Bartolomea faleceu, de tuberculose, aos 26 anos. Santa Vincenza levou adiante o projeto do Instituto. O ideal de Bartolomea não morreu, mas continua vivo por meio das Irmãs que abraçam este projeto e hoje estão presentes em 20 países de quatro continentes. No Brasil, estão em seis estados. 
 
O que impulsiona nossa vida e missão de irmãs é o amor fiel a Deus, cultivado por nós diariamente na oração pessoal e comunitária. As Irmãs presentes em diversas realidades de missão colocam-se a serviço de jovens, crianças, doentes, idosos, presidiários, famílias, abandonados e marginalizados, privilegiando sempre os mais pobres.
 
O projeto de Santa Bartolomea é vivido hoje por todas nós, irmãs da Congregação, que deixamos nossos projetos pessoais para doar nossa vida em favor de um projeto coletivo, em favor da vida e do amor, no seguimento de Jesus Redentor. Somente um coração ousado e aberto ao amor pode responder ao chamado para doar a própria vida. 
 
Se você, jovem, se sentir chamado por Jesus a seguir este caminho, não tenha medo de responder sim, pois Jesus conta com você para continuar a missão Dele neste mundo. Se precisar de ajuda neste caminho entre em contato conosco. 
                                                                 
 Ir. Patrícia Fontana, Caiçara-RS
Congregação das Irmãs de Nossa Senhora Menina