Você está em:

A Vivência da fé em Jesus Cristo (Parte 1)

 
Preparando o ambiente
 
Ambientar o local do encontro com uma toalha sobre a mesa, flores, Bíblia, vela, crucifixo, imagens de Jesus. Se possível, colocar as cadeiras em forma circular. 
 
Ver a realidade
 
Iniciar as atividades convidando alguns jovens para o meio do círculo. Uns ficarão de olhos tapados com um lenço, outros irão orientá-los, mas sem falar. Colocar vários obstáculos pelos quais os jovens de olhos tapados serão conduzidos. Destapar os olhos e deixar que os participantes partilhem a experiência. 
 
Então, faça perguntas: como se sentiu caminhando sem poder enxergar? Que sentimentos experimentou ao se deixar conduzir pelo colega? Na realidade atual, é comum se deixar conduzir pelos outros com segurança? Com confiança?
 
Partindo dessa experiência partilhada, podemos nos perguntar: O que é ter fé? Como é se colocar no seguimento de Jesus? Partilhar as próprias conclusões, certamente, será enriquecedor.
 
Enxergar com os olhos da fé
 
Estamos caminhando com a nossa Igreja retomando a exata confiança da fé para reavivá-la, purificá-la, confirmá-la e confessá-la. Segundo Bento XVI, os conteúdos da fé necessitam ser confirmados, compreendidos e aprofundados de maneira sempre nova para se dar testemunho coerente deles. 
 
No primeiro pronunciamento sobre a intenção de proclamar o Ano da Fé, o Santo Padre disse, em sua homilia, que neste ano seria dado renovado impulso à missão da Igreja rumo à amizade com Cristo. O objetivo, segundo o Papa, é promover uma conversão ao Pai cada vez mais completa, para fortalecer a nossa fé em Deus e anunciá-lo com alegria ao homem do nosso tempo.
 
Nesse sentido, a nossa catequese propõe aos catequistas constante reflexão sobre o tema da fé. A Palavra nos dá a direção, a exemplo dos primeiros anúncios de Paulo e Barnabé. É visível, nas Escrituras, o entusiasmo com que eles se expressavam quando retornavam de suas atividades missionárias e contavam às comunidades o que Deus tinha feito por eles, especialmente, abrindo aos gentios a porta da fé (At. 14,27). Que as nossas catequeses possam despertar esse grande entusiasmo aos nossos catequizandos quando, também, eles forem contar a seus pais e amigos o que aprenderam nos nossos encontros.
 
Acreditar em Jesus Cristo (Mt. 16, 10-17)
 
A fé é dom de Deus. Em consequência, é graça divina. Ela nos é dada para que a desenvolvamos e cuidemos dela, deixando-a desabrochar  e manifestar-se em nós. A fé é a virtude pela qual cremos em Deus e em tudo o que Ele nos revelou. É compromisso. Ela nos leva ao comprometimento com Deus que nos ama, mas, também, ao comprometimento com o outro, o nosso próximo, ou com aquele de quem precisamos tornar-nos próximos. A fé tem também suas exigências. A principal delas é darmos testemunho dos ensinamentos de Jesus.
 
Como toda semente jogada na terra precisa de cuidados para desenvolver e crescer, assim também é a fé. Semente colocada no coração do homem, necessita de cuidados para dar bons frutos. Não para a nossa própria satisfação, e sim para o crescimento humano em comunidade. Amar e se deixar amar nessa relação de gratuidade com o próximo nos faz perceber Deus. E o que nos leva a fazer essa experiência de Deus é acreditar no seu amor, ou seja, é ter fé.
 
Neuza Silveira de Souza 
 Coordenadora da Comissão
 Arquidiocesana de Catequese de BH