Você está em:

 


 

A cada ano fazemos a experiência de nascer de novo, ou deixar-nos nascer com Cristo em nossa vida. Ele, o Espírito Santo, que nos foi deixado por Jesus em nós, caminha conosco em nossa missão, nos ajudando a dar continuidade à missão de Jesus no mundo.

 

Temos Jesus como modelo e as primeiras comunidades, ajudadas pelos apóstolos, como experiências de que caminhar com Jesus faz acontecer o reinado de Deus na terra

Esta é a nossa missão de catequistas. Missão de todos nós que, a cada ano, somos chamados a nos deixar guiar para que a vontade de Deus aconteça na vida das pessoas. Temos Jesus como modelo e as primeiras comunidades, ajudadas pelos apóstolos, como experiências de que caminhar com Jesus faz acontecer o reinado de Deus na terra: viver o amor, a justiça, a alegria, a partilha, fraternidade e esperança. Assim como as primeiras comunidades, vamos refletir e descobrir a mensagem que a Palavra nos oferece; meditá-la no coração e dar a resposta de nossa fé, transmitindo essa mensagem aos outros.

Façamos o percurso com fidelidade à Aliança com Deus

Feita a experiência do nascer com o menino Deus, experiência da encarnação de Jesus no meio de nós, recomeçamos o novo ano nos preparando para a acolhida dos nossos catequizandos, fortalecendo nossos laços de amizade, de relações fraternas com eles, relações de fidelidade que torna forte a nossa aliança de amor com Deus, pois o amor de Deus pela pessoa humana é a sua aliança fiel. Aliança que é sinal de compromisso e de vida.

 

Deus nos criou à sua imagem e semelhança e aqui nesse reinado devemos trabalhar
para não nos
deixarmos vencer por tudo aquilo que pode nos distanciar
de Deus

Quando falamos de Aliança com Deus somos transportados lá para as nossas origens e fazemos memória da nossa criação. Deus nos criou à sua imagem e semelhança e aqui nesse reinado devemos trabalhar para não nos deixarmos vencer por tudo aquilo que pode nos distanciar de Deus. Quem nos ajuda nessa batalha é o Espírito Santo. No diálogo de Jesus com Nicodemos, fala-se de nascer de novo, isto é, nascer da água e do Espírito (Jo 3,5-6). João usa do simbolismo entre a água e o Espírito, das origens da criação (Gn 1,2), para falar desse novo nascimento, não da carne, mas do espírito. À imagem da água como símbolo do Espírito, une-se a do vento, que, como o Espírito, não se sabe de onde vem nem aonde vai (Jo 3,8). O que sabemos é que o Espírito nos dá a força de Cristo para o nosso caminhar.

 

No dia do nosso batismo, ao recebermos a unção com o óleo santo, o sacerdote diz: “Que a força de Cristo penetre em sua vida, como este óleo em teu peito”.  Como Jesus, a quem Deus ungiu com o Espírito Santo e que passou pelo mundo fazendo o bem e libertando os oprimidos (At 10,38), assim também nós, cristãos, recebemos a unção do Espírito, que nos instrui interiormente (1Jo 2,20.27; cf. Jo 14,26), e nos capacita para dar continuidade à missão de Jesus e cumprir o seu ordenamento: “Ide a todas as nações, anunciai o Evangelho e batizai a todos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.

É com este Espírito santificador que nós catequistas retomamos as nossas catequeses e sob a Luz de Cristo, continuamos a caminhada.
 

Neuza Silveira de Souza
Comissão Arquidiocesana da Catequese de Belo Horizonte