Você está em:

A realidade do jovem no Brasil

Um país imenso, quase um continente. Multiplicidade de realidades de norte a sul do Brasil. Contrastes e desigualdades que também perpassam a vida dos mais de 50 milhões de jovens brasileiros e brasileiras.
 
A juventude brasileira vai traçando sua trajetória em meio aos desafios que a sociedade apresenta. A busca pela inserção é constante, quando a cidade e o campo vivem intensamente os problemas da exclusão social e econômica. O “medo de sobrar” é cotidiano e os dados registram o desemprego juvenil e a marginalização social vivida na própria carne: milhões de jovens não estudam nem trabalham e quase metade dos desempregados são jovens. 
 
A violência, ao lado da exclusão, também é um tema enfrentado com dramaticidade, afinal a taxa de mortalidade juvenil em decorrência da violência letal é alta. A falta de acesso a outros direitos fundamentais, como a saúde e a cultura, também faz parte da vida da população jovem.
 
A garantia dos direitos da juventude é essencial para um Brasil pleno de paz, justiça e dignidade.
No entanto, mesmo em meio a essa situação preocupante, o otimismo dos jovens  é alto. Segundo pesquisa realizada alguns anos atrás – sob o título “Perfil da juventude brasileira” –, grande parte dos jovens mostram-se otimistas em relação ao país e a si próprios. Afirmam ter expectativas  para a elaboração dos seus projetos de vida. 
  
No campo das artes e da cultura, jovens homens e mulheres são protagonistas de manifestações e linguagens artísticas. Praças, parques e ruas são coloridos pela criatividade e diversidade cultural da juventude.
 
As marcas comuns da geração jovem, em meio à multiplicidade das situações, confirmam a busca do horizonte do bem comum para todos, onde a garantia dos direitos da juventude é essencial para um Brasil pleno de paz, justiça e dignidade.


Paula Cervelin Grassi
Representante da PJ no
Conselho Nacional de Juventude