Você está em:

A interação entre fé e vida na formação cristã

 

A situação da catequese no Brasil sempre foi muito discutida na Igreja.  Desde 1978, com a realização de um seminário de reflexão sobre a catequese, já se pensava em um roteiro ou em temas fundamentais para conteúdo da pastoral catequética.  Em 1980, as orientações pastorais da 18ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para a catequese incluíam pedido de elaboração de roteiros com temas que assegurassem a transmissão da mensagem catequética, em todas as dioceses. Vale lembrar que, naquele ano, o Brasil recebeu a visita do Papa João Paulo II que desde então afirmava ser a Catequese  uma urgência.

As Assembleias Gerais da CNBB nos anos seguintes – 1981 e 1982 – também tiveram como pauta a discussão sobre as orientações para a catequese do Brasil, bem como a importância de um roteiro ou temário de conteúdos básicos. Assim, o documento “Catequese Renovada: Orientações e conteúdos”, aprovado pela 21ª Assembleia Geral da CNBB, em 15 de abril de 1983 é fruto de todas essas reflexões e resposta aos anseios de todos os catequistas do Brasil. Contudo, esse não pode ser considerado ponto de chegada, mas de partida pois, nos dias atuais permanece o anseio pelo aperfeiçoamento da formação cristã que oferecemos aos catequizandos.
 

A comunidade animada pela fé, sustentada pela esperança e movida por meio da caridade fraterna faz da sua própria vida parte importante do conteúdo da catequese

Continuamos inquietos e em busca de conteúdos, de formas e métodos para bem realizar nossa missão. Voltemos o nosso olhar para o “Catequese Renovada: Orientações e conteúdos”. É importante nos questionarmos se suas riquezas já foram todas extraídas, esgotadas e aproveitadas.

Estamos comemorando os 30 anos do documento e ele continua sendo muito importante para a nossa caminhada catequética. É parte integrante do nosso itinerário de fé. Além das orientações gerais que nos ajudam a permanecer firmes no caminho traçado pelos nossos bispos, ainda contamos com temas fundamentais para que a nossa catequese, seja, nas bases, além de renovada, também transformadora.

E a grande força motriz que ajudará a dar o impulso ao desenvolvimento de nosso trabalho, fazendo dele processo permanente e transformador, está na nossa concepção de catequese, ou seja:  um conjunto de conhecimentos que tenha como principio a “interação entre fé e vida” e leve em consideração o papel fundamental da comunidade como catequizadora.  Pois é na comunidade cristã que se vive as relações fraternas, celebra-se a Eucaristia, trabalha-se o exercício da escuta da Palavra. Também é na comunidade que se recebe os ensinamentos de Jesus, vive-se o testemunho, organiza-se a catequese, elaboram-se os conteúdos, a forma e a metodologia para o seu bom desempenho.

O documento “Catequese Renovada” afirma que a comunidade animada pela fé, sustentada pela esperança e movida por meio da caridade fraterna faz da sua própria vida parte importante do conteúdo da catequese. Logo, não há duvidas de que para uma fundamentação pertinente é preciso retomar o estudo de tão importante documento, principalmente, no que se refere aos temas fundamentais. Aqueles que apresentam a riqueza de ensinamentos extraídos da larga experiência das reflexões produzidas por vários outros documentos do pensar catequético.  Mas os temas apresentados no “Catequese Renovada”, em particular, serão inspiração para o nosso fazer catequético hoje, pois é tarefa do catequista abstrair-se dos conteúdos apresentados, e diante da sua realidade concreta construir a interação entre fé e vida.

 

Neuza Silveira de Souza
Comissão Arquidiocesana de Catequese de Belo Horizonte