Você está em:

Vicariato Episcopal para a Ação Pastoral – VEAP

Tem por objetivo coordenar a ação evangelizadora e pastoral da Arquidiocese de Belo Horizonte, a partir do Projeto de Evangelização Arquidiocesano.

Sua ação articula-se com as Regiões Episcopais e os outros Vicariatos Episcopais Especiais, seguindo as indicações dos Conselhos Episcopal, Presbiteral Arquidiocesano e Pastoral Arquidiocesano, em estreita comunhão com as orientações do Arcebispo.

CONTATO:

Av. Brasil, 2079 – 4º andar –bairro Funcionários
30.140-002 – Belo Horizonte/MG
Informações: (31) 32693105
E-mail: vic.pastoral@arquidiocesebh.org.br
Site: arquivo.arquidiocesebh.org.br/vicariato

 

Órgãos Colegiados, Conselhos, Comissões e Secretariados

A Comissão Arquidiocesana de Escolas Católicas foi criada em 2008 e realiza reflexões e atividades pastorais direcionadas para o trabalho das dezenas de escolas católicas existentes na Arquidiocese de Belo Horizonte. A Comissão é um elo entre as escolas católicas e as orientações pastorais da Arquidiocese.

Dentre os objetivos, destacam-se a animação da Pastoral da Educação nos colégios católicos; promoção da comunhão na missão evangelizadora das escolas católicas; articulação, animação e fomento do compromisso de fé de educadores cristãos; fornecimento de subsídios de reflexão e ação pastoral da Arquidiocese com os colégios católicos.

A Comissão é composta por agentes de pastoral representativos das Escolas Católicas e por representantes do setor de pastoral dos diversos órgãos de educação católica da Arquidiocese de Belo Horizonte.

A Comissão Arquidiocesana de Liturgia (CAL) tem como missão formar, animar e organizar a Pastoral Litúrgica na Arquidiocese de Belo Horizonte. Dentre as principais ações, destacam-se: mapeamento da realidade pastoral da liturgia na Arquidiocese; viabilização de formação para os agentes da Pastoral Litúrgica e lideranças leigas consistentes e conscientes da importância da liturgia na vida eclesial; animação dos agentes, dos esforços já existentes e incentivos às boas iniciativas.

O CAMENC, sob a supervisão do Vigário Episcopal para a Ação Pastoral, deve acompanhar de perto as Associações, Movimentos Eclesiais e Novas Comunidades, prestando assessoria e orientação. Além disso, deve coordenar as atividades gerais para a promoção da unidade e comunhão destes entre si e com a Arquidiocese.

Este Conselho deve ajudar as comunidades na busca de uma Igreja-Comunhão, concretamente no relacionamento com as paróquias, outras comunidades e instâncias, e a Arquidiocese, valorizando e respeitando os outros caminhos a promovendo a mútua colaboração.

O CAMENC tem um presidente e conselheiros escolhidos pelos representantes das associações, movimentos eclesiais e novas comunidades presentes na Arquidiocese de Belo Horizonte e aprovadas pela mesma. Seus membros, uma vez eleitos, devem ser confirmados pelo Arcebispo Metropolitano. O CAMENC rege-se por um regimento próprio.

O Assessor Eclesial do CAMENC, nomeado pelo Arcebispo Metropolitano, tem a função de assessorar este Conselho, sendo elo de comunicação com o Arcebispo e o Vigário Episcopal para a Ação Pastoral, no que refere tal área.

O Colegiado de Leigos é um organismo de articulação, organização e representação dos leigos (as) cristãos atuantes na Igreja e na sociedade. É parte integrante das representações regionais do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CDL). No Colegiado de Leigos, diferentemente do Conselho Pastoral Arquidiocesano, participam somente leigos e leigas, com o objetivo de articular e organizar a ação do laicato no cumprimento de sua vocação e missão na Igreja, mas, sobretudo, na sua presença evangelizadora no mundo.

Todos os batizados são corresponsáveis na evangelização, mas ao Colegiado de Leigos é atribuída a tarefa de levar os cristãos leigos e leigas a agirem na transformação por dentro das estruturas sociais. Não é uma nova pastoral ou movimento, mas um organismo laical, em plena comunhão eclesial, que nasce a partir dessa comunhão e para essa comunhão.

O Colegiado de Leigos nasce do desejo e da necessidade de uma mais intensa participação na vida da Igreja e para expressar de maneira mais clara a dimensão da laicidade no corpo da Igreja.

O Conselho Missionário (COMIDI-BH) foi criado em 1990 e oferece seu trabalho missionário para que a Arquidiocese de Belo Horizonte seja cada vez mais “Igreja Viva, Povo de Deus”. Procura reunir representantes das diversas forças missionárias da Igreja local, membros das paróquias, dos movimentos, pastorais e institutos missionários, tanto leigos quanto religiosos, em espírito de comunhão e abertura eclesial às diferentes realidades e necessidades de nossa Arquidiocese.

Trabalha para difundir o espírito missionário formando conselhos nas regiões episcopais e paróquias. Com o objetivo de melhor realizar esta missão, conta com o Centro Missionário Santa Terezinha. Local de referência para o trabalho missionário na Arquidiocese, o Centro foi inaugurado em 1997.

Página do COMIDI no Facebook: www.facebook.com/comidibh.conselhomissionarioarquidiocesano

A Comissão Arquidiocesana Bíblico-Catequética propõe um caminho de formação sistemática e progressiva da fé para que os fiéis acolham a Palavra anunciada e vivam uma experiência pessoal e comunitária do Reino de Deus.

Fazem parte desta Comissão assessores eclesiais e coordenadores, responsáveis por todo o sistema catequético: catequese pré-batismal, catequese pré-eucarística, catequese pré-crismal, catequese pré-matrimonial e atividades catequéticas pós-matrimoniais.

A Comissão Arquidiocesana para a Evangelização de Vilas e Aglomerados busca consolidar pistas e ações para intensificar a presença concreta da Igreja nas vilas e aglomerados que fazem parte da Arquidiocese de Belo Horizonte. Um dos objetivos é a criação de pequenas comunidades, principalmente por meio de Círculos Bíblicos, dos Ofícios Divinos da Comunidade, da Oração do Terço e da Celebração da Palavra. A preocupação pela evangelização de vilas e aglomerados foi contemplada nas duas últimas assembleias do Povo de Deus.

A Comissão aponta, entre outras, pistas para ações concretas: constituir uma equipe para acompanhar a evangelização em vilas e aglomerados, animar foranias, paróquias e comunidades; investir na melhoria dos espaços físicos; dinamizar os projetos pastorais e as visitas missionárias.

A Comissão Arquidiocesana da Pastoral Familiar trabalha na evangelização das famílias com base nas atuais Diretrizes da Ação Evangelizadora. Segundo o documento, “a igreja ocupa um lugar de destaque como norteadora da família diante de uma nova, e cada vez mais, diversa realidade social”.
Esta Comissão visa planejar todas as iniciativas da Pastoral Familiar. Na Arquidiocese de Belo Horizonte, bem como em toda a Igreja no Brasil, o trabalho busca a centralidade das famílias a partir da família de Jesus.   A Pastoral Familiar contribui para que a família seja, de fato, lugar de realização humana, de santificação na experiência de paternidade, maternidade e filiação e de educação contínua e permanente da fé.

A Arquidiocese de Belo Horizonte aposta na riqueza do ministério diaconal. Segundo o Documento de Aparecida, “alguns discípulos missionários do Senhor são chamados a servir à Igreja como diáconos permanentes, fortalecidos, em sua maioria, pela dupla sacramentalidade do matrimônio e da ordem. São ordenados para o serviço da Palavra, da caridade e da liturgia, especialmente para os sacramentos do Batismo e do Matrimônio; também para acompanhar a formação de novas comunidades eclesiais, especialmente nas fronteiras geográficas e culturais, onde ordinariamente não chega a ação evangelizadora da Igreja”.
Fortalecidos com a graça sacramental, os diáconos servem ao povo de Deus na diaconia da liturgia, da Palavra e da caridade, em comunhão com o bispo e com o presbítero. O diaconato é um ministério, um dom para a Igreja, desde os tempos apostólicos. Os diáconos atendem urgências e necessidades no anúncio do Evangelho e na busca de uma vivência autêntica e comprometida da fé.

A Pastoral em Escolas Públicas foi criada em 2014 e tem como objetivo estreitar os laços com as instituições públicas de ensino e contribuir para uma educação cidadã, solidária e ética. A Pastoral é responsável pela ação evangelizadora da Igreja no mundo da educação pública e tem como missão defender uma educação para todos com qualidade; uma educação pública estatal democratizada em seus processos e acesso e propor ações concretas para aqueles que ficaram excluídos do sistema escolar. Trabalha em parceria com a CAEC – Comissão Arquidiocesana de Escolas Católicas e recebe o apoio de Diáconos Permanentes.

A Comissão Arquidiocesana para as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) está presente nas quatro regiões episcopais da Arquidiocese de Belo Horizonte. Tem como objetivo e missão valorizar e resgatar a religiosidade popular; valorizar a ação do leigo dentro e fora da igreja, fortalecer as pequenas comunidades; formar a consciência crítica dos leigos que atuam em vários âmbitos da cidade, fortalecer os valores humanos em uma sociedade excludente e resgatar as comunidades primitivas.

As CEBs foram criadas após o Concílio Vaticano II. Essas Comunidades estão na raiz de vários movimentos sociais e contribuem para a formação de muitas lideranças no campo social e político.

A Comissão Arquidiocesana tem como missão organizar o trabalho das CEBs, fazendo com que as comunidades estejam presentes na Arquidiocese para promover o Evangelho, vivenciar o ecumenismo, buscando mudanças na realidade dos fiéis. A Comissão é responsável pela organização de encontros comunitários e paroquiais, fortalecendo o trabalho das CEBs.

A Comissão Arquidiocesana para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-Religioso busca a unidade entre as igrejas cristãs. Aprender a conviver com todas as religiões cristãs ou não cristãs é um desafio e uma necessidade. Uma convivência que produza o bem de todos, com respeito à cultura de cada pessoa e grupo étnico e religioso. A Comissão tem como meta fazer o laço entre todas as religiões para criar unidade e paz.

A Comissão de Publicações da Arquidiocese de BH tem como missão principal a elaboração das Sugestões para a Liturgia Dominical, Novena de Natal, Via-Sacra e encontros para a Quaresma e Círculos Bíblicos. Os participantes da Comissão prestam assessoria no âmbito da formação bíblico-teológica e litúrgica e atuam na vida pastoral da Arquidiocese.

Para que se constitua um santuário são necessários cinco requisitos: irradiação evangelizadora para toda a Arquidiocese, ressonância pastoral, devoção consolidada, peregrinação constante e a evangélica opção preferencial pelos pobres.

O Conselho Arquidiocesano dos Reitores dos Santuários tem a função de refletir, promover e organizar a ação evangelizadora dos Santuários Arquidiocesanos, em consonância com as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Arquidiocese de Belo Horizonte. É constituído pelo Arcebispo Metropolitano, pelo Vigário Episcopal para a Ação Pastoral, pelos Reitores dos Santuários e outros assessores nomeados pelo Arcebispo, reunindo-se periodicamente, de acordo com sua convocação.

Criado em 2013, o Observatório da Evangelização – PUC Minas nasce da sintonia entre as buscas de resposta da Igreja Particular de Belo Horizonte aos desafios suscitados pela cultura contemporânea à ação evangelizadora e os apelos do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização. É um projeto da Igreja Católica a serviço da concretização da missão de evangelizar e fecundar a sociedade atual com os valores do Evangelho de Jesus Cristo. Em sintonia com as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Arquidiocese de Belo Horizonte, definidas e assumidas na IV Assembleia do Povo de Deus, as três dimensões a seguir estruturarão as atividades do Observatório: espiritualidade encarnada e de comunhão, renovação da vida comunitária e inserção social da Igreja.
A PUC Minas, ciente de sua missão de “promover o desenvolvimento humano e social, tendo como base os valores da ética e da solidariedade e o compromisso com o bem comum, mediante a produção e disseminação das ciências, das artes e da cultura, a interdisciplinaridade e a integração entre a Universidade e a sociedade” –, acolhe prontamente tal proposta e disponibiliza os recursos necessários para concretizar e consolidar o projeto do Observatório.
Saiba mais AQUI.

O Secretariado Arquidiocesano da Juventude (SAJ) integra as expressões juvenis na Arquidiocese de Belo Horizonte. Com encontros, eventos, cursos e outras iniciativas, o secretariado está em sintonia com a Igreja no Brasil a fim de aproximar, ainda mais, os jovens do Evangelho.

O SAJ busca capacitar jovens multiplicadores, formar e acompanhar os grupos de jovens, refletir e buscar caminhos metodológicos para guiar as ações e projetos de evangelização.

Página do SAJ no Facebook: www.facebook.com/sajbh

O Serviço de Animação Vocacional (SAV) reúne os assessores eclesiais e lideranças que colaboram na animação da pastoral vocacional da Arquidiocese de Belo Horizonte. Durante o ano, a equipe organiza momentos de encontro durante a Jornada Mundial de Oração pelas Vocações Presbiterais e também o mês vocacional.

O SAV busca capacitar pessoas interessadas em promover e suscitar as vocações, formar e acompanhar jovens e adultos no discernimento vocacional, refletir e buscar caminhos metodológicos para guiar as ações e projetos de evangelização.

Página do SAV no Facebook: www.facebook.com/sav.bh

Dízimo: compromisso solidário da fé. O Secretariado Arquidiocesano da Pastoral do Dízimo tem a importante missão de acompanhar e animar a Pastoral do Dízimo das paróquias da Arquidiocese de Belo Horizonte, com a colaboração de membros das Regiões Episcopais. Ao longo do ano, são realizados encontros de formação para agentes de pastoral e, em novembro, é celebrado o Mês do Dízimo.

Tem como Missão atender a solicitação das Diretrizes da Ação Evangelizadora da Arquidiocese de Belo Horizonte, apresentada durante a IV Assembleia do Povo de Deus, de que é necessário destacar a preparação de pessoas para o “primeiro anúncio” de Jesus Cristo.  O Secretariado procura integrar, no processo de formação permanente, padres e leigos em uma perspectiva unitária.
Acompanha as iniciativas de cunho formativo desenvolvidas por diversos organismos pastorais e oferece espaço de diálogo e articulação. Orienta a formação integral e de qualidade para todos, tendo como meta o amadurecimento da vida cristã nas comunidades.

Responsável por fortalecer a comunhão fraterna entre as muitas realidades de vida consagrada presentes na Arquidiocese de BH e por colaborar com a ação evangelizadora na rede de comunidades.  Tem como objetivo reconhecer e respeitar a vocação à vida consagrada e a força própria de cada família religiosa, na vivência autêntica do carisma, renovando sempre o convite para que possam se integrar e assumir, com afetividade e efetividade, os exercícios da ação pastoral nas comunidades de fé.