Você está em:

Dom João Justino de Medeiros Silva

Dom João Justino de Medeiros Silva, filho do casal Justino Emílio de Medeiros Silva e Maria de Lourdes Medeiros Silva, nasceu no dia 22 de dezembro de 1966 em Juiz de Fora (MG). Foi ordenado padre em 13 de dezembro de 1992 e nomeado bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte pelo Papa Bento XVI, no dia 21 de dezembro de 2011. Recebeu a ordenação episcopal no dia 11 de fevereiro de 2012, na Catedral de Santo Antônio, em sua cidade natal.

Ingressou no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio em 1984, onde cursou Filosofia e Teologia. Graduou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora e em Pedagogia pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF). É doutor e mestre em Teologia, pela Universidade Gregoriana de Roma.

Atuou como perito da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da CNBB. Na Arquidiocese de Juiz de Fora, foi Vigário Episcopal para a Cultura, Educação e Juventude e secretário do Colégio de Consultores. Lecionou e coordenou o curso de Teologia do CES e no ano de 2004, tornou-se reitor do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio.

 

MINISTÉRIO NA ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE

Dom João Justino de Medeiros Silva é o bispo referencial da Região Episcopal Nossa Senhora da Piedade (Rensp), que abrange oito municípios, coordenando a ação evangelizadora e pastoral, o funcionamento e a infraestrutura da Cúria Regional. Está em permanente contato com os padres, religiosos e comunidades de fiéis dessa Região para escuta, orientações e avaliações. Preside os Conselhos Pastoral Regional, Presbiteral Regional, Pastoral de Forania, Pastoral Paroquial, Paroquial de Administração e Pastoral de Comunidade na Região Episcopal.

A Rensp é formada pelos municípios de Caeté, Nova Lima, Rio Acima, Raposos, Sabará, Taquaraçu de Minas, Nova União e parte de Belo Horizonte.

ARTICULAR, COORDENAR, INCENTIVAR E ORIENTAR

O bispo trabalha na articulação do Núcleo de Estudos Sociopolíticos (Nesp) nessas cidades. Também realiza acompanhamento pastoral das unidades da PUC Minas, do Colégio Santa Maria (CSM) e demais instituições vinculadas presentes nessa Região. Discute e define com as instâncias competentes provisões e transferências.

Dom João Justino supervisiona e orienta trabalhos no Tribunal Eclesiástico, na Secretaria Geral de Relações Sociais (SGRS) e na Secretaria Geral de Relações Eclesiais (SGRE). Acompanha a vida, a administração e a ação evangelizadora dos santuários da Arquidiocese, coordenando o Conselho Arquidiocesano de Reitores. Coordena a administração da Mitra nos respectivos santuários, incentivando projetos evangelizadores e de infraestrutura.

Acompanha o Seminário Arquidiocesano Coração Eucarístico de Jesus (SACEJ). No Serviço de Animação Vocacional, orienta a equipe de coordenação, articulando o Conselho Arquidiocesano de Movimentos
e Novas Comunidades (Camenc), além de outras instâncias para a promoção e animação das vocações.

Orienta o desenvolvimento dos trabalhos do Vicariato Episcopal para a Ação Pastoral. Supervisiona o andamento, participa de reuniões, orienta as coordenações, concede pareceres, incentiva promoções e novos projetos na Mitra Arquidiocesana e no Fundo de Solidariedade. No Comitê Gestor da Presidência (CGP), participa de reuniões, informa-se e faz indicações. Responsabiliza-se também por questões envolvendo orçamentos e metas. Auxilia com orientações.

Em 2015, foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e membro do Conselho Episcopal Pastoral (Consep). Também foi eleito presidente
da Comissão Episcopal para a Educação, do Regional Leste 2 da CNBB (Minas e Espírito Santo).

Dom João Justino foi nomeado, em março de 2016, membro da Comissão de Cultura e Educação do Setor Universidades do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam) e responsável pelas pastorais de Educação e Cultura no Cone Sul.

Em maio de 2017, dom João Justino foi nomeado presidente da Comissão Episcopal Especial para os Bens Culturais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O BRASÃO DE ARMAS E SUA SIMBOLOGIA

O fundo azul indica as virtudes que conduzem ao céu. A pomba representa o Espírito Santo; a estrela de ouro simboliza Maria, Estrela da Evangelização. Estes elementos sinalizam a formação teológica de dom João Justino, cuja tese de doutorado teve como pesquisa o Espírito Santo e Maria.

A faixa ondulada e prateada representa a Igreja de Juiz de Fora, origem do prelado.

O livro aberto refere-se às Sagradas Escrituras e recorda o ministério do teólogo, que encontra na Palavra de Deus a alma da teologia. As letras gregas “alfa” e “ômega” apontam para Jesus Cristo, o princípio e o fim de todas as coisas (Ap 1,8).

O lema “Para dar testemunho da luz” (In testimonium de lumine) baseia-se no Prólogo do Evangelho de João (1,1-18) e refere-se a São João Batista.

O ouro da cruz aponta para a inesgotável riqueza do mistério da cruz e da ressurreição.

O escudo é coberto com o chapéu prelatício e franja de cor verde.

As figuras indicam a dignidade episcopal.

CONTATO:

Palácio Cristo Rei
Praça da Liberdade, 263 –bairro Funcionários
30.140-010 – Belo Horizonte/MG